Notícias

O novo supernutriente das frutas


Períodos de estiagem, geadas, excesso de água ou sal no solo e até mesmo o ataque de pragas e micro-organismos são uma baita ameaça para os pomares. Diante dela, a fruta reage de um jeito peculiar: seu sistema de defesa entra em ação e produz uma proteína chamada fitoalexina. Graças ao seu teor elevado, as plantas injuriadas passam a oferecer um algo a mais. E isso acaba de ser observado em uma revisão de estudos feita por pesquisadores do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, publicada no reconhecido Journal of Agricultural and Food Chemistry.

A notícia deita por terra a ideia de que as enceradas frutas de exportação são melhores. Embora todas as frutas façam bem à saúde, as de aspecto mais comum, as produzidas com menos agrotóxico e as sujeitas a mau tempo estão, acredite!, em vantagem. E o que vem a ser essa bendita fitoalexina? Nas uvas, bananas e companhia, ela funciona como uma espécie de antibiótico natural. Para o homem, revela-se como uma possível inibidora de inflamações, envelhecimento precoce e doenças cardiovasculares. Com tamanha capacidade, a substância entra, agora, na lista de nutrientes desejáveis, oferecidos pelos alimentos funcionais, aqueles que previnem uma série de doenças.

“Essa ação de matar células malignas e proteger o organismo é pesquisada há mais de dez anos”, diz o especialista em bioquímica da nutrição Jaime Amaya Farfan, da Universidade Estadual de Campinas, no interior paulista. “E, como é de praxe quando se descobrem substâncias nutritivas, logo se estudam maneiras de produzir alimentos com maior nível delas.” O cientista cita o exemplo das uvas: busca-se desenvolver espécies com altas taxas de resveratrol, que não deixa de ser um tipo de fitoalexina. “Gerado em função do ataque de bactérias e radiação, esse componente é descrito como um poderoso agente antienvelhecimento e de prevenção de úlceras”, explica Giuseppina Pace Pereira Lima, professora do Departamento de Química e Bioquímica da Universidade Estadual Paulista, em Botucatu.

Identificar o fruto que transborda essa saúde não é tão óbvio. Cabe destacar o orgânico, possivelmente mais rico na bendita fitoalexina por ser produzido sem uso de defensivos agrícolas, que afastariam micróbios capazes de disparar a produção dessa proteína.

Mas fique tranquilo: a maioria das frutas que a gente consome é obrigada a enfrentar, por natureza, uma porcentagem de fungos e de bactérias. Ao amadurecer, são naturalmente invadidas por micro-organismos e produzem, advinhe!, a fitoalexina. “O fungo está mais presente quando a fruta fica doce”, explica Octávio Luiz Franco, especialista em bioquímica de proteínas da Universidade Católica de Brasília. Qualquer tipo de trauma, aliás, tem efeito parecido. “A banana cortada libera essas enzimas benéficas com o intuito de refazer a casca”, exemplifica o nutrólogo Edson Credidio, de São Paulo. Por isso, as bananas-passa — submetidas a um processo de secagem — também teriam doses extras de nutrientes anti-idade.

Fonte: Revista Saúde


« Voltar