Notícias

Você precisa comer mais peixe


Entre os dias 1 e 15 de setembro, o Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) promove a Semana do Peixe. O objetivo é aumentar o consumo desse alimento pelos brasileiros, que, atualmente, consome pouca quantidade do alimento. "Os peixes são riquíssimos em proteínas, aproveitadas quase integralmente pelo organismo e fundamentais para a formação da nossa pele, cabelos e unhas", explica Viviane Laudelino Vieira, nutricionista do Centro de Referência para a Prevenção e Controle de Doenças Associadas à Nutrição. Crianças, adolescentes e gestantes necessitam de maior quantidade dessas proteínas.

Os peixes também possuem ferro, um nutriente importante para a formação dos glóbulos vermelhos, que ajudam a prevenir a anemia. "Além de ser muito nutritivo, normalmente apresenta menor teor de gordura, principalmente a saturada, em relação à carne vermelha, e também tem menos calorias", explica. Para garantir esses benefícios, deve-se consumir o alimento de duas a três vezes por semana.

O tipo certo para você

Das gorduras contidas nos peixes, a maioria é insaturada. Entre elas, está o ômega 3, que além de diminuir o nível de triglicérides, ajuda a prevenir a aterosclerose e diabetes e ainda contribui no tratamento da artrite reumatoide. "Quem quiser incluir o nutriente em sua dieta deve preferir os peixes de águas frias, como sardinha, atum, salmão, arenque e cavala", ensina a nutricionista.

Cada espécie é indicada para um tipo de pessoa, por exemplo, a sardinha apresenta uma quantidade significativa de cálcio, devido à sua espinha, portanto, pode ser uma boa fonte para quem tem deficiência desse mineral. "Apenas duas unidades representam o mesmo que um copo de leite", garante Viviane.

A tilápia, por sua vez, é rica em proteínas e possui baixo teor de calorias e gorduras, principalmente saturadas, ou seja, é uma excelente opção para quem quer controlar o peso. Segundo Gláucia Midori, nutricionista do Ganep Nutrição Humana, 100 g desse peixe contém 128 kcal e 2,65 g de gorduras totais, quase 10 g a menos de gordura que o salmão.

Muito apreciado durante a Páscoa e nas festas de final de ano, o bacalhau é o que possui menor valor energético e baixo teor de gordura entre todos os peixes citados pelas nutricionistas. Porém, é rico em sódio, devendo ser consumido com moderação, principalmente por pacientes hipertensos. Além disso, Gláucia explica que o preparo desse peixe com azeite de oliva e batatas torna o prato extremamente calórico. Ela explica ainda que se deve dar preferência às preparações grelhadas ou assadas.

Cuidados extras

Na hora de comprar peixes, é preciso ficar atento à qualidade dos mesmos. Para isso, verifique se estão com boa aparência e também procure saber qual é a sua procedência e o modo de armazenamento.

Segundo a nutricionista Viviane Vieira, pessoas com hipertensão, doenças cardiovasculares e com propensão a retenção de líquidos devem evitar os peixes salgados como o bacalhau, o salmão defumado e a anchova. Quem sofre de retenção de líquidos também não pode exagerar no consumo.


« Voltar